Parque Tecnológico da UFRJ lança Plano Estratégico 2016-2045

[-] Texto [+]
21/12/2016 | Macroplan
A Macroplan apoiou a elaboração de um Plano Estratégico com visão de longo prazo para o Parque Tecnológico da UFRJ. O trabalho pretende criar um modelo inovador de atuação, ampliando a atuação do Parque para além das suas limitações de espaço físico. "É uma mudança conceitual que terá impacto importante no portfólio de serviços a serem prestados aos centros de pesquisa e empresas. Nesse modelo, o que importa não é apenas a proximidade física das instalações, mas também a intensidade do relacionamento e arranjos de cooperação entre as empresas, qualquer que seja sua localização", explica Rosane Ribeiro, consultora da Macroplan que acompanhou a conclusão do projeto.

Outro aspecto relevante do Plano Estratégico é a noção de que a diversidade é mais importante para a inovação do que a simples diversificação setorial. "A diversidade é uma visão mais ampla porque incorpora multiplicidade de setores, portes, culturas e beneficia o ecossistema de inovação do Parque", avalia a consultora. Com esse Plano, o Parque Tecnológico da UFRJ pretende colaborar com o alcance de inovações de alto impacto para empresas de diversos portes e setores com o mesmo protagonismo com que já atua no setor de Óleo e Gás.

Essa proposta de atuação foi desenvolvida com base em cinco principais demandas, identificadas em um diagnóstico gerado pela equipe da Macroplan: necessidades de ampliação de serviços de alto valor agregado, promoção de conexões dos atores do ecossistema do Parque Tecnológico da UFRJ, intensificação da rede de parcerias, maior oferta de espaços compartilhados e melhorias na gestão.

Entre as iniciativas previstas no Plano Estratégico está a ampliação da contribuição socioambiental do Parque, mediante a inovação em temas de interesse ambiental.

"Destaca-se também o desenvolvimento de um ambiente que estimule a interação entre os atores do ecossistema de inovação e intervenções urbanas e feiras culturais e gastronômicas, entre outros", antecipa Ribeiro.

Plano Estratégico foi elaborado com base em cenários prospectivos

Segundo a consultora, todo o Plano Estratégico foi construído "a quatro mãos". A equipe do Parque Tecnológico da UFRJ foi capacitada a cada etapa do projeto para construir o conteúdo do juntamente com a Macroplan. Dessa forma, foram elaborados quatro cenários possíveis para o futuro da instituição. O cenário de referência escolhido pelo Parque para o ano de 2045 apresenta contexto socioeconômico favorável com ambiente favorável à inovação. Para alcançar esse cenário, no entanto, o Plano prevê como ponto de partida uma retração nos investimentos de PD&I, devido à estagnação econômica e baixa inserção internacional do Brasil. "Por volta dos próximos 10 anos, um lento crescimento da economia mundial apresenta um ambiente favorável à inovação que incentiva os empreendimentos de base tecnológica e cooperação com instituições financeiras internacionais. Nos 20 anos subsequentes, então, o Brasil deve apresentar um crescimento econômico expressivo e maior inserção internacional, além de políticas públicas de incentivo ao surgimento de novos negócios inovadores que favoreçam o ambiente de negócios", projeta a consultora da Macroplan.